CUIDADO!! FOLICULITE.......

CUIDADO!! FOLICULITE.......

NOS AVISE PREVINIR DEPENDE MAIS DE VOCÊ!

Se tiver tendência à foliculite avise a depiladora com antecedência e após a depilação lave com agua fria e sabonete de bebê. O suor do seu próprio corpo pode contaminar o poro aberto e contaminá-lo com bactérias que vivem na pele ou no ar.

 

O QUE É?

Foliculite ocorre quando há infecção dos folículos pilosos, causada por bactérias, como o estafilococo, ou outros fatores. A infecção aparece como pequenas espinhas, de ponta branca, em torno de um ou mais folículos pilosos ou apenas vermelhidão. A maioria dos casos de foliculite é superficial, pode coçar, e doer. Normalmente a inflamação do pelo sara sozinha, mas os casos mais graves e recorrentes merecem atenção e tratamento com um dermatologista.

 

SINTOMAS

A foliculite pode ser superficial ou profunda. No primeiro caso, afeta apenas a parte superior do folículo piloso. Os sintomas são: pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus; a pele pode ficar avermelhada e inflamada; causa coceira e sensibilidade na região.

São raros os casos de foliculite que causam complicações. Entretanto, preste atenção a possíveis recorrências, ou seja, um local em que o pelo sempre “encrava”, ou se a área atingida pela foliculite aumenta. Procure o dermatologista, ele irá indicar o melhor tratamento.

Quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode haver a formação de furúnculos.  Os sintomas são: grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; as áreas ficam muito sensíveis e doloridas e pode coçar também; em alguns casos a dor é intensa. As chances de cicatrizes são maiores nesses casos, e pode haver destruição do folículo piloso.

 

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

Um médico pode diagnosticar a foliculite simplesmente olhando a pele. Em alguns casos, os médicos podem retirar amostras da secreção da lesão para que ela seja examinada em laboratório.

Os casos leves de foliculite provavelmente curam-se sozinhos. Mas, casos persistentes ou recorrentes podem exigir tratamento. A terapia dependerá do tipo e da gravidade da sua infecção.

 

FOLICULITE ESTAFILOCÓCICA

Tipo comum. Ocorre quando os folículos pilosos são infectados com bactérias staphylococcus aureus (estafilococos).É caracterizada por coceira, inflamação com pus e pode ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos. Quando afeta área da barba de um homem, é chamada de coceira do barbeiro. Embora os estafilococos vivam na pele o tempo todo, elas podem causar problemas quando entram no corpo através de um corte ou outro ferimento. Isto pode ocorrer por arranhões ou lesões na pele no caso da depilação existe a lesão de tirar o pelo de dentro do poro e devido a ultra sensibilidade de algumas mulheres até o suor pode desencadear a foliculite e aí começa o processo inflamatório. O tratamento pode ser com antibiótico tópico, oral ou uma combinação dos dois. Também pode ser recomendado evitar raspar a área, até que a infecção sare.

 

SYCOSIS BARBA

Inflamação em todo o folículo piloso após o barbear. Pequenas inflamações aparecem primeiro no lábio superior, queixo e mandíbula. Podem aparecer constantemente com o barbear contínuo. Em casos mais graves pode deixar cicatrizes. Compressas e antibiótico local são os tratamentos mais utilizados.

FOLICULITE GRAN-NEGATIVO

Costuma se desenvolver quando a pessoa usa antibióticos por longo tempo para tratar acnes. Surge principalmente no nariz. Esses medicamentos alteram o equilíbrio normal da pele, fazendo com que organismos nocivos se desenvolvam, como as bactérias gram-negativas. Na maioria das pessoas não há grandes problemas, principalmente após cessar o uso dos medicamentos. Mas elas podem se espalhar pelo rosto e causar lesões graves. Apesar de este tipo ser provocado pelo uso prolongado de antibióticos, medicamentos tópicos ainda são a melhor forma de tratamento.

PREVENÇÃO

Manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações pode ajudar a prevenir a foliculite. Certas pessoas são mais propensas a infecções, como as pessoas com diabetes. Se você tem algum problema médico que o torna mais propenso a contrair infecções, algumas precauções podem ser importantes.

Evite lavagens antissépticas rotineiramente, pois deixam a pele e seca e matam bactérias protetoras. Mantenha a pele hidratada




Cerca de 30% dos indivíduos, mesmo sadios, podem portar estes micro-organismos em suas narinas. Um percentual menor abriga estes micro-organismos em outros locais do corpo como axilas, região inguinal, períneo e vagina. Alguns pacientes podem abrigar uma carga ainda maior destes micro-organismos, devido ao funcionamento deficiente de seus sistemas de defesa.

São exemplos os pacientes diabéticos dependentes de insulina, aqueles submetidos a tratamentos dialíticos e os portadores de doenças de pele descamativas. Esperamos que essa informações tenham sido úteis. Se tiver boas dicas sobre o assunto nos envie. 



Comente isso! Comentar

  • Não existem comentários ainda, clique em comentar e seja o primeiro!

PREENCHA E RECEBA
NOVIDADES EM SEU E-MAIL